Matéria de domingo: entramos no Palácio da Alvorada em Brasília. A residência oficial do Presidente da República

20140312_173514_620x465

20140312_165636_620x465

20140312_171602_620x465

20140312_171934_620x465

20140312_172347_620x465

20140312_170833_620x465

20140312_172738_620x465

20140312_172607_620x465

20140312_172101_620x465

20140312_171708_620x465

Juntamente com um grupo de turistas de várias partes do Brasil, tivemos a rara oportunidade de conhecer, na quarta-feira, dia 12 de março, o interior do Palácio da Alvorada, a Residência Oficial do Presidente da República, uma das mais importantes obras de Oscar Niemeyer e que foi o primeiro prédio em alvenaria construído em Brasília (iniciada em abril/1957 e terminada em junho/1958) e sua maior reforma aconteceu em 2005. Primeiro foi apresentado o ESPELHO D´ÁGUA de 60 cm com as esculturas das Iaras, de Ceschiatti. O HALL DE ENTRADA, com a grande parede dourada com a poesia de Augusto Frederico Schmidt. A SALA DE ESPERA é decorada com tapeçaria de Concessa Colaço e quadros de Vicente Rego Monteiro intitulados Abstração e Céu e ainda obra de Carlos Scliar, “Os Barros Esperam”. Passamos pela CAPELA pela particular do Palácio construída por JK sobre uma laje no tamanho de 20×20 e com paredes revestidas com jacarandá-da-baía folheado a ouro. Passamos pelo SALÃO DE ESTADO com móveis contemporâneos e antigos com imagens sacras dos artistas, Kennedy Bahia, Djanira da Motta e Silva, Maria Leontina e Alfredo Volpi. A BIBLIOTECA com 3.406 obras, em sua concepção do acervo contou com a participação de Manoel Bandeira, Francisco Assis Barbosa, Celso Cunha, Antônio Houaiss e Edson Nery da Fonseca. MEZANINO: com obras de Di Cavalcanti e Ceschiatti. SALA DE ALMOÇO: com mesa e doze cadeiras inglesas em estilo chippendale; SALÃO NOBRE composto por quatro ambientes e muitas obras de artistas famosos. SALA DE MÚSICA: onde um piano separa os salões Nobre e o de Banquetes; SALÃO DE JOGOS com cinema para 30 pessoas e outros setores de lazer. SALÃO DE BANQUETES: com decoração de Ana Maria Niemeyer ele possui uma mesa que pode ser montada de várias formas e tamanhos para até 50 lugares. A prataria original pertencia ao Palácio do Catete, no Rio de Janeiro. Também foram apresentadas nos jardins do Palácio da Alvorada vários exemplares de EMAS, típicas do cerrado brasileiro. VEJA MAIS FOTOS clicando em “Leia Mais”.

20140312_173849_620x465 20140312_164939_620x465 20140312_165521_620x465 20140312_165533_620x465 20140312_165549_620x465 20140312_165625_620x465 20140312_165636_620x465 20140312_165644_620x465 20140312_165658_620x465 20140312_165714_620x465 20140312_165755_620x465 20140312_165806_620x465 20140312_165843_620x465 20140312_165915_620x465 20140312_165947_620x465 20140312_170257_620x465 20140312_170347_620x465 20140312_170522_620x465 20140312_170529_620x465 20140312_170635_620x465 20140312_170709_620x465 20140312_170753_620x465 20140312_170833_620x465 20140312_170856_620x465 20140312_170859_620x465 20140312_170908_620x465 20140312_170918_620x465 20140312_170928_620x465 20140312_171034_620x465 20140312_171049_620x465 20140312_171107_620x465 20140312_171123_620x465 20140312_171129_620x465 20140312_171133_620x465 20140312_171145_620x465 20140312_171150_620x465 20140312_171315_620x465 20140312_171331_620x465 20140312_171345_620x465 20140312_171408_620x465 20140312_171506_620x465 20140312_171513_620x465 20140312_171540_620x465 20140312_171602_620x465 20140312_171652_620x465 20140312_171708_620x465 20140312_171728_620x465 20140312_171731_620x465 20140312_171749_620x465 20140312_171801_620x465 20140312_171820_620x465 20140312_171836_620x465 20140312_171855_620x465 20140312_171934_620x465 20140312_172044_465x620 20140312_172101_620x465 20140312_172128_620x465 20140312_172347_620x465 20140312_172356_620x465 20140312_172511_620x465 20140312_172607_620x465 20140312_172657_620x465 20140312_172731_620x465 20140312_172738_620x465 20140312_172747_620x465 20140312_172800_620x465 20140312_172821_620x465 20140312_172829_620x465 20140312_172859_620x465 20140312_173514_620x465

Ver Mais Notícias

15 Comments

  1. Silvan, quando você chegar em Muriaé, faça fotos dos Quiosques para informação Turísticas de Muriaé, o da Praça João Pinheiro está CHEIO (cheio de entulhos, porcaria, papeis, latas, baratas, ratos, escorpiões etc.Em tempo está todo danificado. “BELA FOTO PARA OS TURISTAS E VISITANTES DE MURIAÉ”. Você que leu esta mensagem, vá visitar o quiosque da praça, e veja onde o dinheiro publico foi mais uma vez jogado fora..

  2. ola Silvan parabéns pela reportagem …mas que tal um choque ? depois de ver jacarandá folheado a ouro, e mais tantas outras coisas fica uma pergunta a despensa dela é claro super abastecida certo? e será que alguém que estava la visitando parou para pensar que tudo aquilo que é conservado impecavelmente lá, sai tb do bolsito dele? vc tomou um choque de diferença social pq vc está acostumado aqui a visitar os barracos e casebres d a cidade mas seria bom se ela lá tb tivesse essa oportunidade de tomar um choque entrando em nossas favelas sem seguranças etc simplesmente entrasse…..visitasse e ainda coloca o salário em 800 reis……

  3. Silvan, pelos móveis que vc viu, deu p/ notar se são novos? Pois, o M’lula quando saiu, dizem que ele carregou DOZE caminhões lotados de muitos objetos, inclusive móveis antigos do Palácio. Confirme essa informação,por favor!

  4. Parabéns ao meu amigo Silvan Alves pela moral, e o reconhecimento pelo seu belo trabalho em todos estes anos, desde o o jornal de Muriaé, passando pela TV atividade, e hoje pelo seu site, que e um dos mais acessados na região, no estado de Minas Gerais , no Brasil, e quem sabe até no exterior, continue buscando sempre os seus objetivos…

  5. Entrar lá até que deve ter sido fácil.
    Queria ver se você teria coragem de “pegar” a ……………../
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  6. Silvan, nunca estive em Brasilia portanto não sei nunca vi e pra falar a verdade nem nunca tive interesse ler a histótia do palacio residencia, só me informa o seguinte, aquela imagem de um soldado ” segurança” deve ser guarda real…. é um soldado realmente pago pelo gov para cuidar da segurança do palacio ou é uma figurinha ornamental? que achei muito estranho são as cores da farda,, não deveria ser verde amarela, azul escuro enfim algo das cores da bandeira nacional, ou sãoas cores dapor favor bandeira do plsnalto, satisfaz ai minha curiosidade agradeccida

  7. Mêu amigo Silvan. Oçê é coraijôzo rapáiz, pucauzo qui êu num tem coráije de intrá aí não. Cadê os moradô? Num tem ninguém incaza não? Aconçêio oçê inhânte de vimbóra, toma um bâinho de çáu grôço e adispôiz manda um pai de santo baiano dá uma surra noçê cum cordão de frade drobado in trêis trança quié pra invitá doçê pegá máu custume, indamáiz qui as vibração aí dênto é tudo malígrina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *