O VASSOUREIRO DOS DIAS ATUAIS

Nossa reportagem conversou recentemente com um vendedor que chama a atenção pelas ruas de Muriaé com sua Belina cercada de vassouras grandes, pequenas, de variados tipos e coloridas também. Estamos falando do vassoureiro, Alípio de Paula, que nasceu em Santo Antônio do Glória (Vieiras) na época em que o município ainda pertencia a Comarca de Muriaé.

Por muito anos trabalhou fazendo serviços gráficos como na Gráfica Moderna, da Família Vidon, em Muriaé, depois trabalhou para o Paschoal Ferrari, da tradicional Pizzaria Oasis, que segundo ele, era a melhor pizza que existia na cidade na ocasião.

Depois Alípio seguiu com o trabalho de gráfico no Rio de Janeiro (Barra Mansa e Volta Redonda) em jornais diversos do Rio, e esteve também em São Paulo. Retornou a Muriaé onde ainda tem parente, mas os filhos moram em Angra dos Reis-RJ.

No ramo de vassouras, ele está há 10 anos, roda muitos municípios, mas ficou conhecido também por vender cuecas e meias por um bom período. “Resolvi me especializar na área de limpeza, atender as necessidades das pessoas, no caso das vassouras (altura, largura, tipo de serviço que ela fará). Tenho desde o rodo de 1m, até vassouras de 6m de comprimento.

Há vassouras para variados tipos de serviços e imóveis: casa e prédio (piso, teto, canaletas, piscinas etc), postos de gasolina, veículos, vidros.

O cliente passa e fala se eu tenho um determinado tipo de vassoura e eu procuro atender a sua necessidade. No caso dos pisos modernos de hoje, como o porcelanato, sinteco, tábua corrida, que não podem ser varrido vassoura comum, porque arranha, temos as apropriadas” disse Alípio, informando que os produtos vêm do Sul do país, apesar de ter fábricas em BH, São Paulo.

“Procuro trabalhar de uma maneira honesta, ter um produto de qualidade e um preço justo, deixar satisfeito o cliente” disse o vendedor que quando vai à farmácia, restaurante, feira, açougue, sempre leva nas costas algum tipo de vassoura e lá, além de comprar, ele acaba vendendo também, e não é só por isso, ele quer ser visto e reconhecido como vassoureiro, a sua profissão.

Ver Mais Notícias

8 Comments

  1. Transformou a vassoura em um conceito. Isso é o diferencial. É como aquela bucha de fiozinhos de aço, um refugo de usina que transformaram em um produto conceitual, com mil e uma utilidades: o Bom Bril. Nada como eliminar a sujeira com uma vassoura mágica, que alcança onde as outras não alcançam e ainda é colorida, uma obra de arte e também funciona como peça decorativa para quem gosta de limpeza com muito bom gosto.

  2. Muito bom ver pessoas com trabalho que remetem ao passado, existem poucos hoje no mercado, como gostaria q ainda existisse os alfaiates, os sapateiros, etc….. fica com Deus Silvan!

  3. E eu na na grota, coirtano vassora pra varrê casa, curral, quintal, chiquero e galinhero. Num demora têim vassora elética, cum controle remoto e até a gais. Teve um prisidente que usô vassora pra varrê currupição e foi dusbão. Vái qui a moda vorta…

  4. Varre, varre vassourinha,
    varre , varre a BANDALHEIRA
    que o povo está CANSADO
    de sofrer desta MANEIRA
    Trecho de uma ”marchinha” da campanha eleitoral de Jânio Quadros em 1960

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *