Acompanhamos neste sábado o 16º dia de buscas no Córrego do Feijão, local da tragédia

Pequena comunidade onde ocorreu a tragédia

Cerca de 350 Bombeiros de vários estados atuam nas buscas

Chegada de um corpo na comunidade
Redes de TV de todo o Brasil ainda passam por Córrego do Feijão
O Major BM Cosendey, passando informações para o Site
Sepultamentos são quase diários no pequeno cemitério

Com colegas da imprensa de São Paulo (Agência) e BH (Rádio)
16 aeronaves estavam nas buscas no sábado

TRAGÉDIA DE BRUMADINHO-MG: ATÉ O MOMENTO 165 MORTOS; 156 IDENTIFICADOS; 165 DESAPARECIDOS E 138 DESABRIGADOS. Nossa reportagem amanheceu neste sábado (10) na comunidade rural de Córrego do Feijão, em Brumadinho-MG, a 360 Km de Muriaé. Este é o local da tragédia, é onde a barragem da Vale rompeu no dia 25 de janeiro, e é onde está a zona quente, local onde acharam dezenas de corpos e ainda procuram por outras dezenas de desaparecidos.

A pequena comunidade do Córrego do Feijão lembra São Domingos (Belisário) e lá o cenário é muito parecido com o de guerra, pela tamanha destruição provocada pelo tsunami de lama e também pela mega estrutura montada lá para resgate de corpos, logísticas e outras providências (atendimento a 352 bombeiros, sendo 150 de Minas Gerais e 129 de outros estados, 64 da Força Nacional, voluntários, equipes administrativas, policiais militares e civis, autoridades e jornalistas (tem lanche, almoço, janta, frutas, água, refrigerantes) uma vez que Córrego do Feijão não tem estrutura comercial.

A igrejinha virou um quartel general, ocupada do altar à porta da frente por homens e equipamentos de alta tecnologia (nossa reportagem foi levada pra conhecer o interior); o campinho de futebol um pátio para pousos e decolagens de aeronaves que acontecem a todo momento (eram em torno de 16 neste sábado, vindos de MG e outros estados) e a sede da associação, local para deixar corpos no início e agora para descanso das pessoas. O pequeno cemitério foi duplicado.

Também aconteceu às 16 horas, o enterro de Rodrigo, tratorista, 30 anos, pai de uma criança de 10 anos, achado quinta-feira. Durante o sepultamento todas as aeronaves decolam parando as buscas, um silêncio em respeito aos familiares da vítima. Muito gente estava presente no enterro. Também foi achado mais um corpo neste dia.

O Corpo de Bombeiros, através dos tenente-coronel, Eduardo Ângelo e do Major Cosendey falou sobre as dificuldades em achar os corpos, pois não estão mais na superfície e sim bem abaixo, podendo ter corpos a 12 metros de profundidade. Muitos corpos estão sendo achados fragmentados devido ao alto grau de decomposição e pela força do deslocamento da lama. Os trabalhos se concentram na usina ITM, na área administrativa: refeitório, casa e estacionamento; na área da ferrovia e em áreas de acúmulo de rejeito. Buscas também são feitas no Rio Paraopeba.

Nesta semana estão bombeiros de Muriaé e Juiz de Fora, como o Capitão Patrick, Capitão Tristão, Sargento Quiorato e Sargento William. Retornou de lá, o Sargento Agnaldo.

Depois de ter passado por Brumadinho na semana passada quando registramos a estrutura administrativa, o Centro de Imprensa, ouviu depoimentos, visitar locais afetados no entorno da cidade, como o Parque da Cachoeira, voltamos para registrar mais um capítulo desta triste tragédia que deixa centenas de mortos.

VEJA A GALERIA DE FOTOS PRODUZIDAS POR NOSSA REPORTAGEM clique em “Leia Mais”.

           

Ver Mais Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *