Safra mineira de café alcança volume recorde em 2016 com 30,7 milhões de sacas. MG tem o melhor café do país

11 de janeiro de 2017


Em Minas Gerais a área total de café em produção ultrapassou um milhão de hectares, com aumento de 4,2%. A safra mineira de café em 2016 registrou volume recorde de 30,7 milhões de sacas. O aumento é de 37,8% em relação à safra anterior e corresponde a quase 60% da produção nacional que ficou em 51,3 milhões de sacas.

Os números fazem parte do quarto e último levantamento anual de safra da Conab, divulgado em dezembro (após o período de pós-colheita), confirmando as expectativas de safra recorde mineira que vinham sendo sinalizadas nos levantamentos anteriores. A área total de café em produção ultrapassou um milhão de hectares, com aumento de 4,2% em relação à safra anterior e a produtividade média ficou em 30,4 sacas por hectare, índice 32,2% acima do resultado obtido na safra 2015. Saiba mais clicando logo abaixo em "Leia Mais".

Na avaliação do analista especial de Cafeicultura da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Niwton Castro Moraes, a safra mineira atinge um volume expressivo após dois danos de baixa.

“A cultura do café é caracterizada pela bienalidade, que é a alternância entre safras altas e baixas. Nos dois anos anteriores (safras 2014 e 2015), esse ciclo foi rompido e tivemos dois anos de baixa produção devido à seca prolongada. O volume expressivo da produção no ano passado recupera o ciclo de bienalidade da cultura”, explica.

Ainda segundo o analista da Seapa, tanto a safra estadual quanto a nacional, mesmo sendo recordes, o volume não chega a interferir na cotação do produto, uma vez que os estoques mundiais se mantinham num nível muito baixo e ainda precisam de recomposição.
 
Mapeamento: O mapeamento do parque cafeeiro, demanda antiga dos produtores mineiros, já está sendo realizado pela Emater-MG e Epamig, órgãos vinculados à Seapa, com o apoio da Embrapa e da Conab. “Com este estudo estamos fazendo o levantamento de todo o parque cafeeiro no estado por meio de georreferenciamento, aliado à validação de campo. O trabalho vai possibilitar determinar com precisão o tamanho da área produtora de café e isso vai contribuir para melhorar as estimativas anuais de safra”, explica o Niwton Moraes. A previsão é de que este estudo esteja concluído no primeiro semestre de 2018.
 
Café de Qualidade: A produção mineira de café não se destaca apenas no volume de produção. Com cafés plantados desde 300 até 1.600 metros de altitude, o estado possui uma infinidade de condições microclimáticas, produzindo cafés com uma diversidade de nuances de sabor e aroma. Essa particularidade torna Minas um fornecedor natural de verdadeiras raridades para o mundo dos cafés especiais.

O Programa Certifica Minas Café, coordenado pela Seapa, tem como objetivo principal assegurar a produção dentro de critérios de sustentabilidade econômica, social e ambiental, além de trabalhar melhorias na produtividade e na qualidade do grão. A iniciativa abrange o Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas, o Circuito Mineiro do Café e o projeto de Mapeamento e Monitoramento do Parque Cafeeiro do estado. Atualmente, mais de 1,2 mil propriedades cafeeiras já foram certificadas pelo programa.

3 Comentários

  1. Então pq o café continua tão caro aqui em Minas.?????

  2. Acho que o café pode parecer caro porque os cuidados com os cafesais e as várias etapas de produção até chegar à nossa mesa, são muitas, dependem de mão de obra especialisada e há apenas uma safra por ano. Não é um chá ou uma hortaliça de fácil cultivo e manipulação. Além disso, o produto é muito valorizado na maioria dos países,  sendo por isso um importante item em nossa pauta de exportação.  E por quê é tão valorizado?  Por se tratar de bebida considerada por muitos como muito saudável, um possível energético para vários momentos do dia, principalmente de manhã.

Comente esta notícia

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios devem ser preenchidos *

*

Scroll To Top